A Sociedade Brasileira de Arritmias Cardíacas – SOBRAC acaba de divulgar um documento com orientações sobre a retirada de dispositivos cardíacos eletrônicos implantáveis POST MORTEM.

As recomendações foram baseadas em evidências internacionais, que a Sociedade julga ser imprescindível para o esclarecimento de médicos, hospitais e serviços funerários que lidam diariamente com essa situação.

No momento em que vivemos a pandemia do novo coronavírus, a SOBRAC reafirmou a importância de que a retirada do DCEI post mortem deve ser feita “preferencialmente por médico e devidamente registrado no prontuário do paciente, resguardando a segurança no momento da pandemia COVID-19”.

A Sociedade alerta ainda que o profissional não médico (seja do serviço funerário ou da própria unidade hospitalar) que eventualmente seja designado para esta tarefa, deve ser devidamente treinado, ainda que tal procedimento exija técnica simples e não coloca em risco a vida do profissional que executa o procedimento. Em momento de pandemia pela COVID-19 é fundamental o entendimento dos aspectos relacionados ao manuseio de DCEI após o óbito.

Confira aqui o documento com as recomendações da SOBRAC

Confira aqui o ofício do CFM sobre a retirada de DCEI.

 

Compartilhe:
FacebooktwitterlinkedinFacebooktwitterlinkedin

Busca no site: