Desafio Eletrocardiográfico

BRADICARDIA, qual sua conduta?

Por Cristiano Dietrich / Muhieddine Chokr

O Caso

Paciente de 57 anos, sexo masculino, procura atendimento médico por queixa de tonturas e limitação de sua capacidade funcional (cansaço para os esforços). Além disto, refere episodios autolimitados de palpitações aceleradas. Sem antecedentes pessoais ou comorbidades. Exame físico do atendimento demonstra PA 118/76mmHg, FC 35bpm sem anormalidades. O eletrocardiograma realizado na consulta é demonstrado abaixo: 

 

Figura 1

Frente ao achado do ECG acima, foram realizados exames complementares como ecocardiograma (dentro da normalidade), Holter-24h (FC média de 54bpm e fibrilação atrial paroxística curta duração) e teste ergométrico (interrompido por cansaço na FC de 126bpm e considerado negativo para isquemia).

Frente ao seu diagnóstico pela análise do ECG (figura 1), qual sua conduta?

Carregando ... Carregando ...


Discussão:

Resposta E

Discussão:
O ECG demonstra uma bradicardia, FC em torno de 35bpm. A cuidadosa análise do registro demonstra a presença de uma onda P alterando a morfologia do segmento ST e inscrição inicial da onda T como demonstrado na figura 2. O diagnóstico demonstra uma onda P bloqueada por refratariedade da condução atrioventricular.

Figura 2: diagrama demonstrando o mecanismo do achado eletrocardiográfico.

Após terapia anti-arrítmica com propafenona (dose diária 450mg) e metoprolol (dose diária 25mg), foi indicada ablação por cateter por refratariedade no controle das taquiarritmias atriais (extrassístoles atriais e fibrilação atrial paroxística). Durante o procedimento, foram registrados episódios de bradicardia devido a extrassístoles atriais com origem em veia pulmonar inferior esquerda (figura 3a e 3b), havendo o controle da arritmia atrial após isolamento das veias pulmonares esquerdas (figura 3c e 3d). Acompanhamento clínico demonstra a resolução dos sintomas e das arritmias atriais sem a necessidade de terapia medicamentosa anti-arrítmica.

Figura 3: Ablação por cateter. A- registro de extrassístoles atrais isoladas e bigeminadas com condução atrioventricular preservada e distúrbio de condução pelo ramo direito (seta vermelha). B- mapa de ativação da extrassístole atrial demonstrando foco arritmogênico no interior da veia pulmonar inferior esquerda, coloração branca (estrela vermelha). Durante o isolamento elétrico das veias pulmonares esquerdas, houve resolução das extrassístoles atriais seguido imediatamente pela desconexão elétrica das veias pulmonares.


Referência bibliográfica

Deixar um comentário

Seu email não será visível para os visitantes, campos com (*) são obrigatórios

* *