Dia INTERNACIONAL da Mulher: Fibrilação Atrial, arritmia cardíaca comum na população, tem papel importante na gênese da Insuficiência Cardíaca NO SEXO FEMININO

No panorama geral das doenças cardiovasculares que afetam o sexto feminino, a insuficiência cardíaca (IC), lesões no músculo cardíaco ou nas válvulas cardíacas, tem chamado atenção de diversas entidades de saúde em todo mundo e a Sociedade Brasileira de Arritmias Cardíacas (SOBRAC) alerta para os casos crescentes.

Entre outros fatores, a Fibrilação Atrial (FA), arritmia cardíaca comum na população em geral e associada aos inúmeros casos de Acidente Vascular Encefálico (AVE), tem papel preponderante entre as mulheres.

A insuficiência cardíaca é uma doença grave, crônica e com tendência a agravar-se com o tempo. Eventualmente, pode encurtar a sua vida. As causas variam de acordo com o sexo, sendo a doença arterial coronariana mais incidente nos homens, enquanto a hipertensão arterial é a principal causa entre as mulheres.

A hipertensão arterial (HAS) não controlada aumenta o risco para o surgimento de arritmias cardíacas, que podem causar, precipitar ou agravar a insuficiência cardíaca. A HAS é a responsável por quase 50% dos casos. Mais sintomática e recorrente, a fibrilação atrial causa o aumento da frequência cardíaca nas mulheres, sendo preponderante nos casos de insuficiências cardíaca.

Bebidas alcoólicas e fatores de risco
Tanto a SOBRAC quanto outras entidades médicas internacionais alertam para a prevenção da insuficiência cardíaca, iniciando com a identificação de mulher com hipertensão, tabagistas, dislipidêmicas, com história de doença cardiovascular, obesas, sedentárias, com dietas pobres em nutrientes, com síndrome metabólica, aterosclerose subclínica, portadora de arritmias.

Intervir sobre os maiores fatores de risco e modificar aqueles passíveis de modificação devem ser alguns dos principais objetivos nos cuidados da saúde cardiovascular das mulheres.

Tratamento
A hipertensão e a dislipidemia devem ter seus níveis controlados, seja por medidas não farmacológicas, como atividade física, dieta pobre em sódio e gorduras saturadas, ou farmacológicas, por meio de medicamentos específicos e com controle médico adequado e regular.

Jogo Rápido

Insuficiência Cardíaca (IC)

  • Lesões no músculo cardíaco ou nas válvulas cardíacas;
  • Condição grave, em que o coração não bombeia sangue para o corpo tão bem quanto deveria, deixando de fornecer nutrientes e oxigénio suficientes ao organismo;
  • Normalmente, desenvolve-se em pacientes que têm ou tiveram doença nas artérias coronárias e ataque cardíaco/enfarte do miocárdio, que deixaram lesões ou provocaram esforço demasiado ao coração;

Sintomas

  • Cansaço e fatiga – quando o coração não consegue eliminar resíduos corretamente, leva à acumulação de líquido nos pulmões e em outras partes do corpo, como as pernas e abdómen;
  • Taquicardia
  • Bradicardia acentuada

Fatores de Risco

  • Arritmias Cardíacas – importante na gênese na insuficiência cardíaca no sexo feminino, principalmente a fibrilação atrial
  • Hipertensão (também provocada e adquirida na gestação, após a menopausa e exposição ao tabagismo e alcoolismo;
  • Obesidade
  • Dislipidemia
  • Tabagismo
  • Diabetes
  • Sedentarismo
  • Alcoolismo (excesso de bebida alcoólica pode levar à cardiomiopatia)
  • Histórico familiar de doença cardiovascular
  • Dietas pobres em nutrientes
  • Síndrome metabólica
  • Aterosclerose subclínica
  • Falta de ar (dispneia)
  • Retenção de líquidos

Prevenção e Tratamentos

  • Atividade física
  • Redução do sal na alimentação e de gorduras saturadas
  • Farmacológico (betabloqueadores)
  • Não farmacológica (entre outros, aliviar os sintomas relacionados à arritmia cardíaca e melhorar a qualidade de vida)
  • Controle médico adequado e regular

Incidência

  • Fibrilação Atrial – maior número de casos em mulheres com mais de 75 anos (em números absolutos)
  • Desenvolve-se em mulheres com pressão arterial elevada e não controlada.

 

*Artigo produzido pela cardiologista Erika Olivier, Diretora do Departamento da Mulher da SOBRAC.

Compartilhe:
Facebooktwittergoogle_pluslinkedinFacebooktwittergoogle_pluslinkedin