Desafios em Eletrocardiografia

Síncope, como investigar?

Muhieddine Chokr / Cristiano Dietrich

O Caso

Paciente de 43 anos chega ao pronto-socorro após apresentar episódio de síncope súbita e com rápida recuperação. Refere dia quente com perda de consciência durante caminhada. Sem história prévia de doenças pessoais ou em sua família. Prática de esportes regularmente. Avaliação inicial não encontrou anormalidades do exame físico. O eletrocardiograma realizado no departamento de OS é apresentado na figura 1:

Figura 1: ECG

 
 

Frente ao quadro, qual a possibilidade diagnóstica e sua conduta imediata?

Carregando ... Carregando ...


Discussão:

Resposta C

Na investigação de paciente com síncope no departamento de emergência, considera-se como relevante a descrição do sintoma e o perfil de risco do paciente. A análise do eletrocardiograma sempre deve ser feita de forma cuidadosa. O registro demonstra o ritmo sinusal com eixo de complexo QRS no plano frontal em 30 graus, além de alteração da repolarização ventricular nas derivações precordiais V1-3. Uma análise mais detalhada do ECG permite visualizar uma despolarização após a inscrição do complexo QRS em V1 e V2, denominada onda épsilon. Estas alterações levam a suspeita de alguma doença estrutural acometendo o ventrículo direito, sendo a principal a Displasia Arritmogênica do Ventrículo Direito (DAVD) – figura 2.

Figura 2: onda épsilon (seta).

Em casos com suspeita para síncope de origem cardíaca, a internação deve ser a primeira opção pela possibilidade de risco de morte súbita. Neste paciente a investigação complementar confirmou o diagnóstico de DAVD: 1) ECG alta resolução com potenciais tardios; 2) ecocardiograma, demonstrando dilatação e disfunção sistólica moderada do VD com alterações segmentares; e 3) indução de taquicardia ventricular no EEF. Durante a internação, o paciente ainda apresentou episódio de taquicardia ventricular espontânea sustentada revertida quimicamente com administração de amiodarona (figura 3). Frente aos achados clínicos, foi realizado o implante de desfibrilador interno.

Figura 3: taquicardia ventricular

Referência bibliográfica

4 commented on “Síncope, como investigar?

  • Dr HUGO LEONARDO GONÇALVES PINTO Diz:

    Com certeza, a internação imediata para investigação se faz necessária devido a queixa importante de síncope por baixo débito !! Verificando o ECG da admissão, fica presuntivo o diagnóstico de DAVD pela evidência de onda épsilon nas precordiais direitas , associadas a inversão da onda T e Aumento do QT , denotando possibilidade de doença cardíaca e alto risco de morte súbita por TVS !! Como foi registrado episódio de TVS , então foi indicado logo depois um CDI !! Caso muito ilustrativo de doença arrítmica = DAVD !!

  • 1. A INFORMAÇÃO DO SEXO É PRIMORDIAL NO CASO – SINCOPE + T INVERTIDA V1 A V4 = SUSPEITA DE AVRD!!!!
    2. CONSIDERAR TAMBÉM ISQUEMIA A INVERSÃO DE T SIMÉTRICA"ASA DE GAIVOTA"
    3. O CUIDADOSO OLHAR NO ST NA PROCURA DA ONDA EPSILON(VISIVEL NESTE CASO)
    4. CONSIDERAR MEDIÇÃO CUIDADOSA DE QTC EM V3 = 475 mS (VALOR DE NORMALIDADE DIFERE NOS SEXOS)
    5 .CASO ECO NORMAL CONSIDERAR RNM

  • Walter Tadeu Diz:

    Qto a alteração rep parede septal , nao houve , ao eco, achado isquemico?
    obs a seta referida nao esta no tracado!
    Se a internação foi para investigar , ja com previo HD DAVD nao foi medicado de imediato?claro que tal atitude poderia mascarar o eef mas o eco ja evidenciou a HD de entrada pq pac teve TV Sustentada?nao foi impregnado?nao tratou? na gde maioria dos hospitais brasileiros por certo ele estaria morto sobretudo se a TVS fosse no periodo noturno!
    Com a fc baixa ao ecg de entrada qual droga seria de eleição?
    Os complexos QRS de baixa amplitude pq?
    Grato

  • Francisco R Silveira Diz:

    EXCELENTE.

Deixar um comentário

Seu email não será visível para os visitantes, campos com (*) são obrigatórios

* *