Desafios em Eletrocardiografia

Taquicardia polimórfica, qual o mecanismo?

Muhieddine Chokr / Cristiano Dietrich

O Caso
Paciente de 55 anos chega ao pronto socorro com sensação de morte iminente, tonturas, ansiedade e parestesia generalizada. Avaliação inicial não encontrou anormalidades do exame físico. Durante o registro do eletrocardiograma foi registrado o evento demonstrado na figura 1:

Figura 1: ECG.

Frente ao quadro, qual a possibilidade diagnóstica e sua conduta imediata?

Carregando ... Carregando ...


Discussão:

Resposta E

Discussão:

A analise do eletrocardiograma sempre deve ser feita de forma cuidadosa e a correlação com o quadro clínico também é imperativo. Entretanto, analisando isoladamente o ECG vemos alguns achados interessantes e esclarecedores.
Inicialmente, o registro sugere uma taquicardia ventricular polimórfica ou fibrilação ventricular pela desorganização da atividade elétrica. Frente a esta arritmia, o ideal é a desfibrilação imediata. Mas avaliando o ECG com cuidado, podemos ver que na verdade o registro ocorre durante uma crise extrema de ansiedade com artefato da linha de base simulando uma arritmia ventricular pleomórfica. Na figura 2, detalha-se a localização do complexo QRS intrínseco normalmente deflagrado durante o ritmo sinusal, FC de 80-90bpm.

 

Figura 2: localização do complexo QRS intrínseco durante ritmo sinusal.

O diagnóstico final é uma pseudo-taquicardia ventricular por artefato na linha de base por tremor muscular durante simulação de convulsão por crise aguda de transtorno de ansiedade generalizada.


Referência bibliográfica

3 commented on “Taquicardia polimórfica, qual o mecanismo?

  • DR HUGO LEONARDO G. PINTO Diz:

    NESTE CASO TEMOS UMA IDÉIA DE DIAGNÓSTICO INICIAL DE TAQUICARDIA VENTRICULAR POLIMÓRFICA . MAS ANALISANDO O ECG EM ASSOCIAÇÃO COM O QUADRO CLÍNICO ,VEMOS QUE EXISTE ALGUMA DISCREPÂNCIA . O ESPERADO SERIA UMA MAIOR GRAVIDADE ,COM A EVIDÊNCIA DE PCR . ASSIM ,COM ESTES SINTOMAS EXUBERANTES , PENSARIA EM ALGUM QUADRO DE PRE-EXCITAÇÃO OCULTA QUE PUDESSE TER EVOLUÍDO COM UMA FIBRILAÇÃO ATRIAL , COM CARACTERÍSTICAS MORFOLÓGICAS SEMELHANTES, SIMULANDO TV POLIMÓRFICA . ESSE DIAGNÓSTICO SERIA APÓS EXCLUSÃO DAS OUTRAS POSSIBILIDADES DE ALTA GRAVIDADE, VINCULADAS AO PLEOMORFISMO E OU POLIMORFISMO(TV). MUITO IMPORTANTE ESTA AVALIAÇÃO FRENTE A ESSE CASO CLÍNICO QUE SURPREENDE !!

  • Joel Pinho Diz:

    Boa pegadinha. O exame clínico no momento da possível arritmia serviu para o esclarecimento do caso.

  • Ellen Diz:

    Para quem não está ao lado do paciente para ver o quadro diante alteração do ECG, que bom que temos 12 derivações para avaliar ! Fica bem claro a presença de artefato quando analisamos todas elas.

Deixar um comentário

Seu email não será visível para os visitantes, campos com (*) são obrigatórios

* *